Ministério Público move ação contra Hadadd e diretores do Municipal – “Até quando isto vai? Os Haddad  já mostraram que são homens de bem. Por que não processa Alkmin Serra e outros do governo Paulista. Até quando os procuradores paulistas vai agir deste jeito?”

 O prefeito Fernando Haddad, o secretário de comunicação municipal Nunzio Briguglio Filho, o ex-secretário de cultura e ex-ministro da Cultura Juca Ferreira e o maestro John Neschling estão entre os nomes relacionados na ação civil que o Ministério Público de São Paulo ajuizou após investigar irregularidades nas contas do Theatro Municipal. O promotor Marcelo Milani, autor do processo, disse nesta segunda que os acusados participaram de diversas irregularidades e improbidades administrativas. Segundo ele, Haddad foi alertado por José Luiz Herencia e também pelo Tribunal de Contas do Município de que a contratação do IBGC, organização social responsável pela administração da casa, bem como a contratação de Neschling, maestro e diretor artístico, eram ilegais. A promotoria pede na Justiça a devolução aos cofres públicos de R$ 129 milhões, que seria o total de recursos destinados ao IBGC entre 2013 e 2015. “Toda a contratação da OS é ilegal, ela foi fraudulenta. Então tudo o que foi pago para o IBGC é ilegal, estamos pedindo tudo de volta”, diz o promotor. Ele também requereu a suspensão dos direitos políticos dos agentes públicos citados. Publicidade Eduardo Anizelli/Folhapress O Theatro Municipal de São Paulo OUTRO LADO Segundo a Prefeitura, o prefeito Fernando Haddad já representou contra o promotor Marcelo Milani perante a Corregedoria do Ministério Público, que estaria investigando sua conduta. “Semana passada, na ação promovida pelo mesmo promotor sobre aplicação de recursos de multas, não apenas o prefeito foi inocentado, como a sentença recém proferida deixou claro o grau de irresponsabilidade deste membro do MP”, indicou a Secretaria de Comunicação da Prefeitura em comunicado. “Este terceiro episódio (Cide Corinthians, multas) também será alvo de uma possível representação, uma vez que a Prefeitura recebeu denúncia de que o promotor Marcelo Milani é parente de um integrante do Theatro Municipal, que encontra-se sob investigação, e não se declarou impedido.” *

Fonte: Ministério Público move ação contra Hadadd e diretores do Municipal – 19/12/2016 – Ilustrada – Folha de S.Paulo

Você pode gostar...