Repúdio da ASMS: violência em unidades de saúde é retrato de novo momento social do país

Vivemos tempos sombrios de inversão de valores, além de louvações a comportamentos sociais, políticos e humanos inadequados. Tem sido recorrente ver que condutas antissociais estejam sendo consideradas “normais”. Uma cultura de violência que se tornou aceitável e até mesmo comemorada.

A violência sofrida pela nossa colega na unidade de saúde Clementino Fraga é mais uma dessas cenas que estão acontecendo nas ruas, residências, escolas e ambientes sociais. Algo impregnado de forma estúpida para consolidar um formato político que ascendeu novamente ao poder e não pode se consolidar no seio da sociedade.

Não podemos aceitar essa permissividade que oferece espaços para que um indivíduo que não respeita a condição de guardião de direitos e agride uma mulher trabalhadora em seu labor. Essa pessoa trabalhava na vacinação que é um ato de salvaguarda e defesa da vida foi agredida e violentada em seus direitos por um covarde personagem de um modelo de sociedade que já existia, mas que resolveu mostrar-se na política, no futebol, na religião, na imprensa e em outros setores da vida social.

Repudiamos esse ato estúpido e cobramos medidas urgentes por parte da Prefeitura Municipal e respostas da nossa Polícia Militar. Nossos colegas estão sendo vitimados nas unidades de saúde ao fazerem seus trabalhos de cuidar e salvar vidas. A ASMS condena a atitude do agressor e se coloca à disposição dos colegas que queiram integrar grupos de ação para discutir, elaborar e executar propostas em torno da proteção de nossa categoria.

Você pode gostar...