Investigação faz juízes acusarem CNJ de ‘seletividade’ em processos

poradmin

Investigação faz juízes acusarem CNJ de ‘seletividade’ em processos

Uma investigação contra quatro juízes que subiram num carro de som no ano passado para criticar o processo de impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff fez o CNJ (Conselho Nacional de Justiça) virar alvo de críticas de outros magistrados, de advogados e de políticos.

Eles reclamam que o conselho foi “seletivo” com os juízes, que foram apelidados de “os quatro de Copacabana” por entidades que os defendem. A principal acusação é de que não houve o mesmo tratamento do CNJ a quem se posicionou contra Dilma.

Procurado pela reportagem, o conselho não se posicionou sobre as críticas.

A manifestação que motivou a abertura do procedimento aconteceu em 17 de abril de 2016, na zona sul do Rio, organizada pela produtora de funk Furacão 2000 e por movimentos de esquerda.

Os conselheiros entenderam que é necessário apurar se houve atividade político-partidária por parte do quarteto, conduta vedada a magistrados. A defesa dos quatro juízes nega a acusação.

No dia do protesto, os discursos variaram de tom. O primeiro dos quatro juízes a falar, André Nicolitt, disse que defendia “a legalidade democrática e a Constituição” e foi seguido por declarações das juízas Simone Nacif e Cristina Cordeiro.

Fonte: Folha de S.Paulo

Sobre o Autor

admin administrator